Publicado por: falmeida222 | Julho 17, 2009

Estreias da Semana: “Harry Potter e o Príncipe Misterioso “, “A Jovem Vitória”, “Doomsday – Juizo Final” e “Lutador – a Lei das Ruas”

3727515241_9eda60e95a_o

Harry Potter e o Príncipe Misterioso – Harry Potter and the Half-Blood Prince

M12|Aventura|Reino Unido, EUA

Realização:David Yates
Argumento: Steve Kloves
Intérpretes: Daniel Radcliffe, Emma Watson, Rupert Grint
IMDB: 8.3/10 6,759 votos

RT: 76% (2242 críticas)

Sinopse: Voldemort faz um cerco cada vez mais apertado tanto ao mundo dos Muggle como ao dos feiticeiros e Hogwarts já não é o local seguro que sempre foi. Harry desconfia que o perigo espreita já dentro do castelo, mas Dumbledore está mais empenhado em prepará-lo para a batalha final que ele sabe avizinhar-se a passos largos. Juntos, trabalham para encontrar a chave que lhes permitirá quebrar as defesas de Voldemort. Para tal, Dumbledore recruta o seu velho amigo e colega, o Professor Horace Slughorn, um bon vivant bem-relacionado e crédulo que Dumbledore julga possuir informações cruciais. Entretanto, os alunos encontram-se sob o ataque de um adversário bem diferente: dentro do colégio, as hormonas adolescentes pululam desenfreadas. Harry sente-se cada vez mais atraído por Ginny, mas o mesmo se passa com Dean Thomas. E Lavender Brown decidiu que Ron é o homem da sua vida, mas não contou com o efeito dos bombons de Romilda Vane. Hermione, por seu turno, anda cheia de ciúmes, mas procura a todo o custo esconder os seus sentimentos. Mas enquanto os romances vão desabrochando aqui e ali, um dos alunos permanece alheado. Está decidido a deixar a sua marca, mas ela há-de ser bem negra. O amor paira no ar, mas a tragédia avizinha-se e Hogwarts poderá não voltar a ser o mesmo.

Site Oficial: Harry Potter e o Príncipe Misterioso

Trailer do filme: Harry Potter e o Príncipe Misterioso

Crítica

“Pela nossa parte, não negamos a proficiência da tentativa, mas reclamamos o direito ao bocejo militante.”

“A saga de Harry Potter já vai longa e a energia inicial, incluindo a viragem para uma vertente mais negra e menos juvenil, parece ter-se esgotado: o actor Daniel Radcliffe (muito limitado no seu registo) perdeu o cariz ingénuo e esta sequela explora amores inconsequentes e o desenvolvimento hormonal de “teenagers” como os outros independentemente das suas características especiais de feiticeiros encartados.” Por: Mário Jorge Torres (PÚBLICO)

3728349308_e525748cca_o

Doomsday – Juízo Final

M16|Drama, Thriller|Reino Unido, EUA, África do Sul, Alemanha|105 min

Realização:Neil Marshall
Argumento: Neil Marshall
Intérpretes: Caryn Peterson, Adeola Ariyo, Emma Cleasby, Christine Tomlinson
IMDB: 6.1/10 27,689 votos

RT: 48% (63 críticas)

Sinopse: Um vírus mortal, conhecido como “Reaper Virus”, acordou e matou milhares de pessoas assim que começou. Em desespero, o governo Britânico evacua o máximo de sobreviventes possível da zona infectada e mais tarde constrói muros à volta de forma a prevenir que os restantes escapem. Trinta anos mais tarde, ainda com os muros de pé e as vítimas ainda na memória, o vírus está de volta. O governo decide enviar uma força especial de elite, dirigida pelo Major Eden Sinclair, para a zona de calamidade para investigar uma possível cura.

Site Oficial: Doomsday – Juizo Final

Trailer do filme: Doomsday – Juizo Final

Crítica

“Não vamos chegar ao ponto de dizer que “Juízo Final” é melhor que “A Descida” (não é). Mas manda a verdade que se diga que, se John Carpenter (de quem nos lembrámos muito) fosse um inglês com reverência pelo cinema xunga e passado dos carretos (à inglesa, portanto), teria feito um filme parecido.

Não basta mais do que o simples prazer celebratório da derivação e reinvenção dos lugares-comuns do cinema de género para fazer deste um dos mais deliciosos prazeres cinematográficos que vamos ter todo este ano – muito embora “Juízo Final” ande aos saltos nas planificações da distribuidora responsável desde que, há quase um ano, teve ante-estreia no festival MOTELx (e, francamente, já perdemos a vontade de agradecer por não ter ido directo para DVD). É um OVNI, sim senhor, e dá vontade de citar os Rolling Stones: “it”s only cinema de género, but we like it” Por: Jorge Mourinha (PÚBLICO)

3728368200_4c21332b7d_o

Lutador – a Lei das Ruas – Fighting

M12|Drama|EUA|1o5 min

Realização:Dito Montiel
Argumento: Robert Munic, Dito Montiel
Intérpretes: Channing Tatum, Terrence Howard, Zulay Henao
IMDB: 5.1/10 1,835 votos

RT: 41% (111 críticas)

Sinopse: Acabado de chegar de uma pequena cidade de província e recorrendo ao contrabando ilegal de mercadorias para sobreviver, Shawn MacArthur acaba por se envolver no submundo das lutas de rua em Nova Iorque, onde rapidamente ascende à condição de estrela, derrotando lutadores de boxe profissionais, campeões de artes marciais e os melhores lutadores de rua. Mas Shawn sonha com uma vida diferente e decide deixar as lutas clandestinas, tem que enfrentar os poderosos do ramo, naquele que será o mais duro combate da sua vida. Há sonhos pelos quais vale a pena lutar…

Site Oficial: Lutador – a Lei das Ruas

Trailer do filme: Lutador – a Lei das Ruas

3728331936_b7ef8118c3_o

A Jovem Vitória – The Young Victoria

M12|Drama|Reino Unido, EUA|100 min

Realização:Jean-Marc Vallée
Argumento: Julian Fellowes
Intérpretes: Emily Blunt, Rupert Friend, Paul Bettany
IMDB: 7.1/10 1,224 votos

RT: 65% (26 críticas)

Sinopse: A história começa em 1837. Victoria, então com 17 anos, está no centro de uma luta pelo poder real. O seu tio, o Rei William, está a morrer e Victoria é a legítima herdeira do trono mas é afastada da corte pela mãe, a Duquesa de Kent, e pelo seu ambicioso conselheiro, Conroy, que Victoria odeia. Mas, com apenas 18 anos, Vitória é mesmo coroada e, aos 20, casa com o príncipe Albert, um casamento “arranjado” que, contra todas as expectativas, se transforma numa grande história de amor, que nem a morte iria abalar…

Site Oficial: A Jovem Vitória

Trailer do filme: A Jovem Vitória

Crítica

“Há, até, espaço para introduzir uma dimensão política rara neste tipo de filmes românticos ― e a surpresa é que esse caderno de encargos potencialmente indigesto se resolva num filme eminentemente simpático, de factura elegante e profissionalíssima, dirigido com brio pelo canadiano Jean-Marc Vallée e interpretado com o proverbial rigor inglês por um excelente elenco.” Por: Jorge Mourinha (PÚBLICO)


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: